A algum tempo o flash já não está presente nos smartphones e tablets dos usuários, e agora a existência do flash nos computadores está com os dias contados.

Assim, é importante ter uma estratégia para migrar seu conteúdo que está em flash para um conteúdo em HTML5. Veja abaixo mais detalhes.

Ok, mas qual o problema do flash?

Além de ser comum que o software apresente falhas de desempenho, travamentos ou coisas assim, também são frequentes as notícias e atualizações relacionadas a falhas de segurança encontradas nele.

Também o consumo de energia e a demora no carregamento das páginas e conteúdos, todos estes motivos direcionaram o abandono ao uso do flash, seja nos dispositivos móveis e agora aos navegadores dos computadores e notebooks.

Assim, o Google anunciou que o Chrome na versão 53 vai começar a bloquear os conteúdos flash, já em Setembro. E em Dezembro, na versão 55, o HTML5 vai ser padrão.

O Mozilla Firefox já colocou em prática o mesmo plano, e o Firefox versão 48 começou a bloquear conteúdos em flash já a partir de agosto, conforme destacado no blog da Mozilla.

A Microsoft deverá seguir o mesmo caminho com o navegador Microsoft Edge.

Definitivamente, é um caminho sem volta.

Afff, e eu devo criar conteúdo em HTML5?

Como usuário, não há o que se preocupar, pois a migração dos sites para o HTML5 somente trará benefícios, como velocidade no carregamento das páginas além de mais segurança no uso da internet.

Grandes sites já migraram para HTML5 a algum tempo, como o YouTube e Facebook que já deixaram de usar Flash e migraram para HTML5 em meados de 2015, e os usuários agradeceram!

Como produtor / gerador de conteúdo, revistas, jornais e publicações, que utilizam serviços de flip, principalmente os gratuitos, o impacto será maior, e poderá ser necessário atualizar seu conteúdo.

Em geral, as publicações integradas em seu site irão parar de funcionar, pois dependerão do Flash que estará bloqueado pelos navegadores Chrome ou Firefox.

Para corrigir o problema, pode-se esperar por estes serviços migrarem para o HTML5, e você terá que re-enviar ou re-publicar suas publicações, ou mudar para um serviço que já oferece suporte nativo a HTML5.

Em geral, sites e serviços de flip de qualidade premium, como a Foggy Labs, oferecem suporte nativo a HTML5, garantindo o uso das principais e mais recentes tecnologias da web para conteúdos.

Como o objetivo é entregar conteúdo de forma eficiente, trazendo o máximo de retorno para a sua empresa / marca, o uso de serviços premium é definitivamente estratégico para o seu marketing de conteúdo.

Em um futuro próximo, nem ouviremos mais falar de flash. Portanto abrace o conteúdo em HTML5 e garanta a eficiência de distribuição e consumo do seu conteúdo!

Tem alguma dúvida se seu conteúdo está em Flash ou HTML5, ou o que você precisa fazer para ter seu conteúdo distribuído com eficiência?
Escreva-me uma mensagem!

Siga a Foggy Labs

Receba os novos artigos, materiais gratuitos e outras oportunidades.

  • Este campo é para fins de validação e não deve ser alterado.

Sobre o autor: Robson Wolanski é fundador da Foggy Labs, uma plataforma de serviço que cria aplicativos para você publicar seus conteúdos, criar sua audiência no mobile e se conectar efetivamente com seus clientes.


ÚLTIMAS DO BLOG


iPhone 11

Nesse dia 10 de setembro de 2019, a Apple lançou o novo iPhone com 2 modelos: o iPhone 11 e o iPhone 11 Pro. O iPhone 11 mudou pouco em relação ao iPhone XR (iPhone 10 antecessor), com destaque principal para:  duas cameras de 12 Megapixels, na traseira (no iPhone XR...

10 dicas para criar um aplicativo para seu negócio

Criar um aplicativo é uma ótima maneira de posicionar o seu negócio junto ao seu público, além de entregar um serviço e ou conteúdo que agregue valor ao usuário. Então, se você deseja lançar um aplicativo para seu negócio, é importante você conhecer algumas “melhores...

Saiba como o marketing de conteúdo pode aumentar os seus leads

Quando se trata da longevidade de estabelecimentos comerciais, o Brasil, infelizmente, sai perdendo. O motivo por trás disso é o fato de que uma fatia considerável dos novos negócios fecha as portas em até dois anos após o início das atividades. Felizmente, existe uma...